Bebê   Bebês fofinhos
Nomes de Bebê...
spacer
Menina
Menino

Em Destaque

A pequena Sereia

As crianças e a televisão

O Patinho feio

Sono do bebê É fundamental criar uma...

Stress nos filhos provocado pela ansiedade ...

Cuidados a ter com a mãe após o parto

Chupetas e tetinas: Látex ou silicone?

   
spacer  

Gravidez

Gravidez semana a semana - Da 33ª à 36ª semana

barriga de grávida com 35 semanasO cérebro do bebê começa a exercitar-se, pois ele presta atenção a todos os ruídos, registando-os. São as primeiras recordações.

A temperatura corporal aumenta devido aos tecidos gordos formados. Isto também se reflete na temperatura corporal da mãe.

As unhas do bebê já cresceram tanto que ele consegue agora coçar-se com elas! Os seus movimentos estão muito restritos devido à falta de espaço.

O sistema imunitário do bebê já funciona independentemente do da mãe. O seu fígado já começa a processar os seus próprios resíduos. O bebê já tem padrões definidos de sono e vigília, abrindo os seus pequenos olhos quando está acordado e, fechando-os quando está a dormir.

Os ossos do crânio do bebê ainda estão moles e não unidos, de modo a possibilitar a passagem para fora do corpo da grávida. È devido à esta passagem pelo estreito canal de parto, que o bebê pode apresentar, nos primeiros dias, a cabeça com uma forma mais ovoide.

Há um novo aumento de peso significativo do bebê, com a finalidade de o fortalecer para o parto.

Na 36ª semana o bebê coloca-se na posição definitiva, pronto para nascer. Pesa, neste momento, cerca de 3Kg e mede aproximadamente 49cm.

Na grávida, a tensão muscular dolorosa pode ser agora significativa. Um banho de imersão quente ajuda a descontrair os músculos, além de contribuir para o bem-estar mental da mãe.

É normal que comece a sentir a pele muito seca, devido às alterações hormonais no organismo. Beba muita água e coma fruta, além de hidratar muito bem a pele todos os dias.

Devido ao volume da barriga, o umbigo torna-se mais plano. Como a pressão na bexiga é maior, sente cada vez mais necessidade de urinar frequentemente.

Nesta altura, a grávida deve evitar fazer grandes esforços. Levantar-se, sentar-se ou curvar-se é cada vez mais difícil. Muitas grávidas queixam-se de terem de mexer as pernas constantemente por sentirem como que picadas ou insectos nelas. È chamado o síndrome das pernas inquietas e é bastante comum nas grávidas, nesta fase.

O útero continua a crescer, mas o bebê já se encontra numa posição mais profunda na pélvis. Por isso, é normal que a grávida já não sinta tanta azia nem tenha tanta dificuldade em respirar.

Como cerca de 1/6 do volume total do sangue da grávida está localizado no seu ventre, é normal que se sinta zonza a maior parte do tempo.

A mulher não deve hesitar em ir ao dentista só porque está grávida: Neste período, os dentes merecem especial atenção, pois as alterações hormonais produzidas no seu corpo os tornam mais frágeis.

Será bom que por esta altura, a grávida decida quem é que ela quer que esteja na sala de partos e, quais as opções quanto ao tipo de parto e medicação pela qual quer optar (parto natural, na água, cesariana, com o sem epidural,…).Faça uma lista das pessoas que quer avisar aquando do nascimento e deixe já a mensagem preparada para enviar. Esta tarefa é ideal para deixar a cargo do futuro pai. É também aconselhado que, quer o saco do bebê quer o da mãe já estejam preparados, pois o bebê pode nascer a qualquer momento… não esqueça de levar a máquina fotográfica e o batom.


spacer


 

Veja também

Artigos em destaque

Sono do bebê – É fundamental criar uma rotina!

O Patinho feio

O desejo de ser mãe (e pai!)

White Noise prejudica o cérebro do bebê?

Otites nas crianças

A galinha dos ovos de ouro

A pequena Sereia

Pré-eclampsia – uma complicação grave

Stress nos filhos provocado pela ansiedade dos pais

Cuidados a ter com a mãe após o parto

As crianças e a televisão

Chupetas e tetinas: Látex ou silicone?

Autismo Infantil

A história do Eu, do Tu e do Ele

Amamentação – Cuidados a ter com os mamilos

Dicas para deixar a chupeta

A Família como base emocional e educacional da criança





 

 

 

 

 

Política de Privacidade