Bebê   Bebês fofinhos
Nomes de Bebê...
spacer
Menina
Menino

Em Destaque

A Família como base emocional e...

Chupetas e tetinas: Látex ou silicone?

Cuidados a ter com a mãe após o parto

Otites nas crianças

A história do Eu, do Tu e do Ele

Stress nos filhos provocado pela ansiedade ...

Amamentação Cuidados a ter com os mamilos

   
spacer  

Crianças

Atenção à roupa que compra para os seus filhos…

Anualmente, tem-se verificado um aumento considerável de acidentes com roupas para crianças que contêm cordões compridos, deslizantes, na zona do capuz, das golas e outras, que pode levar a lesões graves e, em casos extremos, ao estrangulamento. Estes cordões podem enrolar-se no pescoço ou ficarem presos em equipamento de ginásio, elevadores, portas automáticas, de autocarros, etc. O mesmo pode ocorrer com o uso de atacadores das sapatilhas desapertados que podem, por exemplo, ficar presos em escadas/tapetes rolantes.

Desde Agosto de 2008 até Fevereiro de 2010, a Comissão Europeia juntamente com a PROSAFE (Organização sem fins lucrativos, que tem como objectivo contribuir para a melhoria das actividades de vigilância do mercado, através de boas práticas) têm tomado medidas, de modo a diminuir o número de acidentes graves com crianças, que usam peças de vestuário com cordões fixos e deslizantes. Foram inspeccionadas mais de 16 mil peças de vestuário e, foram tomadas medidas relativas a cerca de 2180 peças que não correspondiam às normas de segurança. A maioria destas peças, cerca de 70%, destinavam-se a crianças entre os 0 e os 7 anos.

Apesar das medidas tomadas, é provável encontrar-se no mercado peças de vestuário que não cumpram estas regras de segurança. É fundamental pois, que os pais sejam alertados quanto ao perigo destas peças, de modo a minimizar ou mesmo anular riscos desnecessários.

Algumas das medidas adoptadas para garantir a segurança do vestuário para criança, são:

- Capuchos do vestuário para crianças até os 7 anos não devem ter cordões na zona do pescoço. Quanto às roupas dos adolescentes, estes não devem ultrapassar os 7,5cm, nem devem ter cordões deslizantes com extremidades livres nem elásticos, que possam ficar presas, na zona do capuz e do pescoço.

- Quanto às peças de vestuário para crianças, que contenham cordões fixos e deslizantes com extremidades livres, na zona do peito e da cintura, estes não devem ultrapassar os 1,4cm de comprimento.

- No vestuário para criança, não devem existir cordões fixos ou deslizantes que transponham a parte inferior das mangas ou das bainhas da roupa. Os cordões deslizantes funcionais ou decorativos, nas bainhas das calças, devem encontrar-se dentro da peça de roupa.

 


spacer


 

Veja também

Artigos em destaque

Sono do bebê – É fundamental criar uma rotina!

O Patinho feio

O desejo de ser mãe (e pai!)

White Noise prejudica o cérebro do bebê?

Otites nas crianças

A galinha dos ovos de ouro

A pequena Sereia

Pré-eclampsia – uma complicação grave

Stress nos filhos provocado pela ansiedade dos pais

Cuidados a ter com a mãe após o parto

As crianças e a televisão

Chupetas e tetinas: Látex ou silicone?

Autismo Infantil

A história do Eu, do Tu e do Ele

Amamentação – Cuidados a ter com os mamilos

Dicas para deixar a chupeta

A Família como base emocional e educacional da criança





 

 

 

 

 

Política de Privacidade